Aguarde, carregando...

Informativo

Informativo

Agosto - 2016

Informativo Abor
Agosto 2016

WEBINAR

Este ano iniciamos uma nova atividade exclusiva para nossos sócios, os webinars. Estes são palestras de 50 minutos com profissionais convidados por nossa Diretoria Científica e que podem ser assistidos online, em tempo real, sem necessidade de sair de sua casa ou trabalho.
Em junho tivemos a palestra do Dr. Jonas Capelli sobre aceleração do movimento dentário. E, mais recentemente, no dia 3 de agosto contamos com a participação do Dr. Carlos Tavares falando sobre o Board Brasileiro de Ortodontia e Ortopedia Facial.
Em ambas atividades tivemos acessos de todo o Brasil e acreditamos que esta é mais uma valiosa oportunidade para sua atualização profissional. Caso não possam assistir no dia ou queiram rever essas palestras, elas ficarão na área exclusiva do nosso site.
É só acessar. Aproveitem!

ELEIÇÃO DIRETORIA EXECUTIVA BIÊNIO 2016-2018

Durante a última Assembleia Geral da ABOR ocorreu a eleição da nova Diretoria Executiva para o biênio 2016-2018.

A seguinte chapa foi eleita por unanimidade:
Presidente: Dra. Flavia Artese
Vice-Presidente: Dr. Dennyson Holder
Tesoureiro: Dr. Flavio Cesar Carvalho
Secretário: Dr. Sérgio Caetano
Diretor de Comunicação: Dr. Hugo Caracas
Diretor Científico: Dr. José Augusto Miguel

Durante a referida assembleia muitos projetos foram apresentados, em especial a organização da comunicação e identidade visual da ABOR. Isso já vem sendo preparado e esperamos ter mais notícias até o final de agosto.

Abor Indica

Será que dentes posteriores podem sofrer translação vestibular e que osso vestibular será formado em resposta a esse movimento dentário?

Autores: Chad J. Capps; Phillip M. Campbell; Byron Benson; Peter H. Buschang
Baylor College of Dentistry, Departamento de Ortodontia, Texas, EUA
Publicado na Angle Orthod. 2016;86:527–534.

Em casos de discrepância dentária negativa o tratamento ortodôntico pode utilizar o recurso de extrações dentárias ou expansão dos arcos dentários. No entanto, os tratamentos por expansão dentária tem se tornado mais comuns nos dias atuais, apesar da pouca informação sobre o tipo de movimento dentário que ocorre nestas situações e seus efeitos sobre o osso alveolar. O objetivo deste estudo foi produzir movimento vestibular de corpo em premolares superiores e avaliar a formação óssea na superfície vestibular detes dentes através de tomografias computadorizadas. Com este fim, selecionou-se pacientes que seriam submetidos a extrações de primeiros premolares (n=11), um lado foi utilizado como controle e o outro lado foi submetido a vestibularização com um mecanismo de cantilever construído especificamente para este estudo. A liberação de forças era leve (50g) e contínua e passava pelo centro de resistência do premolar, na intenção de obter um movimento de corpo no sentido vestibular.

Figura 1

Figura 1

Figura 1. Aparelho utilizado para o movimento de translação vestibular do premolar

A reativação de forças era realizada a cada 3 semanas e o período de acompanhamento foi de 12 semanas no total. Tomografias computadorizadas, com voxels de 0,076mm, foram obtidas antes e após a movimentação do premolar. A quantidade de inclinação do dente foi avaliada pelo ângulo formado entre o premolar controle e o vestibularizado.

Figura 2

Figura 1

Figura 2. Medidas utilizadas para avaliar a espessura do osso alveolar vestibulare
da distância da junção amelocementária à crista alveolar.

A espessura óssea vestibular foi medida antes e após o período de estudo (Figura 2), assim como a distância da borda alveolar à junção amelo-cementária. Os resultados demonstraram uma inclinação de 2,2° variando de 1,0° a 5,4°. A espessura óssea reduziu significativamente nos premolares vestibulares e ficou inalterado nos dentes controle. Esta redução foi maior (0,63mm) na região mais próxima da junção amelo-cementária. No entanto, nas superposições tridimensionais observou-se aposição óssea na região vestibular dos dentes experimentais, variando de 0,46 a 0,51mm. Isso demonstra que é possível produzir movimento vestibular de corpo e apesar de haver formação de osso vestibular durante este movimento, ocorreu um aumento da distância da junção amelo-cementária à crista óssea alveolar, sugerindo limitações ao movimento lateral de premolares superiores. Apesar deste estudo clínico prospectivo trazer um novo olhar sobre a remodelação óssea nas expansões dentárias, alguns pontos devem ser observados e discutidos. Ele foi realizado apenas em dentes superiores e é conhecido que os premolares inferiores são mais propensos à recessões ósseas e gengivais. As tomografias computadorizadas possuem limitações na avaliação de espessura óssea, havendo perda de imagem em ossos muito delgados. No entanto, os resultados demonstram que para esta amostra, apesar de pequena, as expansões dentárias não são ilimitadas na região de premolares, mesmo com movimento realizado de forma controlada, com forças leves e contínuas.

PORQUE SE ASSOCIAR A ABOR

Você participa dos cursos e congressos organizados pela ABOR e associações afiliadas
com taxas reduzidas.

PRESIDENTE: Dra. Flavia Raposo Gebara Artese
VICE-PRESIDENTE: Dr. Dennyson Holder
TESOUREIRO: Dr. Flavio Cesar de Carvalho

1º SECRETÁRIO: Dr. Sérgio Roberto Caetano
DIRETOR CIENTÍFICO: Dr. José Augusto M. Miguel
DIRETOR INF./COMUNUCAÇÃO: Dr. Hugo Caracas